Jogos Mundiais Universitários – Dia 1, a caminho de Chengdu, na China

Após dois anos de espera, a 31ª edição dos Jogos Mundiais Universitários de Verão vai começar. Marcada para 2021, a competição também precisou ser adiada devido à pandemia da covid-19. O evento – anteriormente chamado de Universíade – conta com aproximadamente 10 mil atletas, de 150 países em 18 modalidades, na cidade de Chengdu (China). A cerimônia de abertura é na próxima sexta-feira (28), mas na véspera já haverá disputa no Tiro com Arco e Polo Aquático. 

A Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU) convidou a EBC para participar da cobertura, integrando a delegação (atletas e equipe técnica). Estaremos com o Time UBrasil durante 17 dias de competições, acompanhando mais de 150 atletas em 11 modalidades: saltos ornamentais, badminton, tênis de mesa, taekwondo, kung fu (a arte marcial é denominada de wushu na China), basquete, natação, atletismo, judô, tênis e voleibol.

Chengdu é a capital da província de Sichuan, localizada no sudoeste da China e a mais de 1.800 quilômetros de distância da capital Pequim. Do Aeroporto Internacional de Guarulhos, porta de saída para Chengdu, são mais de 20 horas de vôo, com conexão em Addis Ababa (Etiópia). Só que parte da delegação precisava primeiro sair do Rio de Janeiro para encontrar com o restante do grupo na capital paulista.

Já no saguão de embarque do Aeroporto Internacional Tom Jobim conversamos com quatro atletas. Thayná Lemos e Luana Costa (judô), Nívea Barros (taekwondo) e Maria Paula Heitmann (natação). Thayná vai competir na categoria abaixo de 52 quilos (-52 kg). Momentos antes de entrar no avião, a ansiedade andava lado a lado com a felicidade por representar o país.

“Minha expectativa é que eu me divirta bastante, saia com um bom resultado e conheça gente nova. E também é sempre bom estar com o uniforme bonito do Brasil”.

Luana Costa, da categoria -63 kg, embarcou com “sangue nos olhos”.

“Eu quero ser campeã. Treinei muito, to com muita vontade de ganhar, muita gana, muita fome e sede de derrubar todo mundo no tatame”

Nívea Barros, que compete na categoria -49 kg, estreia em uma competição tão grande e quer viver intensamente todos os momentos.

“É a minha primeira vez nos Jogos Mundiais Universitários. Estou bem ansiosa e acompanhando pelas redes sociais outros atletas que já chegaram a Chengdu. Espero que seja tudo fantástico”.

Maria Paula Heitmann também tem acompanhado os atletas que estão na China.

 “Eu sei que vai ser uma estrutura bem grande, já vi algumas fotos, quero chegar para ver tudo”.

O vôo Rio-São Paulo foi rápido e logo estávamos no hotel. Era o momento de retirar o enxoval fornecido CBDU, com malas e uniformes. Logo depois, jantar e descansar. No dia seguinte, logo de manhã, todos deveriam tirar o visto no Consulado Geral da República Popular da China em São Paulo e, de madrugada, e já uniformizados, partir rumo a Chengdu.

, Maurício Costa – Repórter da EBC

Fonte: Agencia Brasil